| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Números e Operações

Page history last edited by PBworks 16 years ago
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

 LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA

REPRESENTAÇÃO DO MUNDO PELA MATEMÁTICA

- EIXO IV -

 

Professora: Marlusa Benedetti da Rosa

Pólo de Gravataí

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares

Data: 10/04/08

Números e operações - atividade 1
  • Onde há números em minha vida?
  • Para que os uso?
               É fácil passar despercebido por aquilo que usamos diariamente, de forma mecânica, de uma maneira quase orgânica, coisas importantes em nossa vida, como os números, por exemplo, elementos imprescindíveis, essenciais à vida moderna.
               Acordo e miro o display do relógio, eles estão lá. Pego o ônibus, conto o dinheiro e pago o cobrador. O telefone toca na bolsa, verifico o número para identificar a chamada. Entro na Escola, Manoel do Carmo, nº 100; minha sala pela manhã é a 9 e a tarde a 6. Tenho 31 alunos e verifico sua presença pela chamada, cujo um número, cada um recebeu, procedo a aula e todos os dias, alteramos o calendário móvel e temos algum desafio de Matemática ou exercício; a numeração das páginas, capítulos e atividades, são rotinas que nem notamos mais, a novidade é quando são romanos; conto as folhas e acesso o mimiógrafo que confirma para mim a quantas ando.
              Administro 13 computadores no Laboratório, mais 4 em setores da Escola e dois em casa. Atendo uma média de 120 alunos por manhã no Laboratório; programo a impressora com número de cópias e a rede pelo servidor.
             Volto para casa, pego Morgana na Escolinha, Dr. Barcelos, nº 2750; passo pela Eletrônica ao lado, nº 2754 e dou um beijo no Marido. Outdoors, cartazes e layouts, me dão conta dos números telefônicos, preços, hora e temperatura, "em números" até chegar ao meu quarto andar (nunca contei os lances de escadas, mas sei que tem 8 apartamentos.
            Chegou minha porta, 411, um bom número na numerologia. Entro, higiene, lanche... Fazer a janta, tantas gramas disso, tantos ml daquilo, uma pitada, três colheres, duas xícaras... - Essa embalagem não parece ter 1kg, aquela, tem mais de 1l.
            A pequena está crescendo - Mãe, me mede? -  pego a trena - 1, 03 m, a mais velha comenta que 1gb de pen não dá mais só cabem 94 músicas no mp3 e nenhum arquivo de dados (binários - 1-0-1-0...).
           Quatro pratos e copos, oito talheres e a janta termina, vou ao banheiro escovar meus 26 dentes, e minha boca operada pela 5ª vez, conto os comprimidos que faltam do segundo frasco de 10 comp. de 10 mg, para serem tomados de 6 em 6 horas. Me olho no espelho, dia 13/04/08, 42 anos, credo! Tá na hora de crescer, não digo em altura, 1,48 m, não tem mais o que fazer, maturidade! Aproveito passo na balança, oh, já comecei a perder peso de novo, 49 kg, recém estava com 53  e estava contente.
            Deito um pouquinho, pego o controle e, números novamente, oitenta e poucos canais, nenhum dá nada que agrade, chego no trinta, Em Busca da Verdade é uma boa pedida, o assunto é múmias, gostei, 1000 a.c., por aí. Relaxo, olho a hora e é hora de pular da cama e ir postar, conexão discada a 16bps depois das 24h só pra quem é hiperativo, o problema é a manivela pra funcionar (hahahaha).
            Sei que esqueci de muitos e muitos números na minha vida, mas o propósito não é um diário, e agora me dei conta disso, então é melhor encerrar.
          

 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

 LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA

REPRESENTAÇÃO DO MUNDO PELA MATEMÁTICA

- EIXO IV -

 

Professora: Marlusa Benedetti da Rosa

Pólo de Gravataí

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares

Data: 10/04/08

Números e operações - atividade 2
LOJA DE DEPARTAMENTOS
 

MATERIAL:

 

*Recortes de produtos variados de encartes e catálogos de lojas e supermercados (Eletrodomésticos, roupas, utensílios, materiais de limpeza, alimentos, etc.).

*Notinhas de dinheirinho, cartelas do R$1,99 (R$ 1,00; 2; 5; 10 e 20).

*Fichas (vale-compras) com os preços dos produtos.

 

DESENVOLVIMENTO:

 

Distribuir pela sala as mesas como se fossem bancas, em cada banca, um vendedor (seis bancas no máximo). Os demais, serão consumidores. Numa segunda rodada, os vendedores e o caixa serão rendidos, para que possam fazer suas compras.

Reservar um espaço para o Banco.

No banco, pilhas de R$1,00, R$2,00, R$5,00, R$10,00 e R$20,00, que os alunos sacarão conforme a quantidade de vale-compras que dispuserem.

Ao se interessarem por um produto, receberão o vale no seu valor (feito na hora pelo vendedor), que levarão ao banco, e sacarão as notas disponíveis pelo caixa, que primeiro serei eu, mediante apresentação do vale.

Dependendo do número de produtos, terão que fazer a conta de cabeça para sacar o valor, e quem vendeu, terá que conferir.

Primeiro se procederá à compra de um produto. Depois estipularei dois, e na terceira compra será acima de três produtos. Terminará a rodada.

 

OBJETIVOS:

 

  • Efetuar cálculos mentais através de experiências concretas;
  • Exercitar o poder de consumo como forma de cidadania;
  • Estimular o raciocínio lógico-matemático e a memória a fim de dar suporte às operações formais.

 

PROBLEMATIZAÇÃO:

Algumas perguntas.

  • Ao comprar um conjunto de taças para vinho, que custa R$24,00, quantas combinações de notas podemos fazer?
  • Qual a menor quantidade que podemos usar para chegar nesse valor?
  • Qual a maior quantidade de notas que podemos usar para chegar nesse valor?

As perguntas procederão com produtos variados e com as quantidades de produtos comprados.

  • Ao comprar três produtos de, R$12,00;R$29,00 e R$33,00, respectivamente, como você organiza o cálculo?
  • O que é mais fácil, contas com menos parcelas ou com mais? Ou ainda, tanto faz?

 

RESULTADOS:

A organização procedeu com muito burburinho e agitação.

Não houve confusões ou desentendimentos, procederam com muita alegria, valorizando a brincadeira com muita seriedade.

Eu também brinquei.

Os vendedores tiveram que fazer um esforço enorme para não auxiliar os compradores.

Houve algumas dúvidas e debates sobre resultados dos cálculos.

 

Algumas respostas aos questionamentos:

 

  • Aluno que comprou um produto de R$ 49,00 e ficou indignado com o caixa.

- Dava pra pagar com duas notas de 20, uma de 5 e quatro de 1, mas o caixa me deu tudo de 5 e 1, tive que juntar 9 notas de 5 e 4 de um. Dava também pra fazer 4 notas de 10, e 9 de 1. Mas, eu tive que levar um monte de dinheiro e podia ser roubado (risos).

 

  • Aluna que comprou uma chapinha de R$29,00; um roupão de R$6,00; um pacote grande de ração pra cachorro de R$37,00 e 2kg de alcatra por R$12,00 o kilo e que se atrapalhou com o dobro (não estava previsto).

- Primeiro eu fiquei indiginada com o preço da comida, não a da gente, a pra cachorro, comida tá mais caro que eletrodoméstico e roupa, tive que xingar o vendedor, coitado, mas eu vi que ele não tinha culpa, a culpa foi da professora que botou os preços (debate e resposta)... Tão tá, eu não conseguia achar quanto dava a carne, tive que devolver o vale e fazer de conta que comprava duas vezes, daí deu certo. Eu juntei os números grandes primeiro, 20, 30, 10 e 10, deu setenta, depois peguei os pequenos, mas daí eu esqueci os grandes e tive que fazer de novo, daí, fui mais esperta e anotei na mão. Os pequenos eu fiz assim, oh, o 9 bota um do 6 ficou 10 e 5, deu quinze, com os 70 deu 85, os 7 com 2 deu 9. Bota 5 do nove deu noventa com quatro, 94. Tirei dinheiro e fui buscar as mercadorias, o cara não quis me dar o segundo kilo da carne, disse que faltava dinheiro, e ele não quis me dizer quanto, até que eu paguei o primeiro e vi que faltava dois pila, droga, deu 96 tive que ir no banco de novo e enfrentar a fila (risos).

 

Muitos falaram, mas tentei captar dois momentos distintos que mostram o drama desempenhado durante a brincadeira, onde todos entraram nos personagens, teve até gente de sacola no faz-de-conta, eu errei também um saque e a vendedora caiu na minha cabeça.

 

Foi muito divertido e deu pra ver o quanto eles sabem, falta apenas espaço e oportunidade para demonstrar. Me chamou atenção um menino, o Freedi, que sempre erra adição com transporte na escrita, e na brincadeira ele realizou os cálculos com muita segurança, ele me explicou que dinheiro não é Matemática, é riqueza e não dá pra errar. Retruquei que a Matemática é uma grandeza que cabe até o dinheiro e se ele usar sempre os números pensando no dinheiro ele não vai mais errar. Ficou meio desconfiado.

 

OBSERVAÇÃO:

  • Os valores das mercadorias foram arredondados.
  • Essa atividade, também poderia ser feita no Laboratório de Informática com o Software Coelho Sabido 1ª Série, que possui uma lojinha de doces, onde se pode escolher a quantidade e variedade, além da diferenciação das notas disponibilizadas para cada compra, a fim de escolher o valor após calculo mental. Mas, não seria tão divertida, apenas outra modalidade da atividade.
  • Não foi possível inserir fotos, estive tão empolgada participando da brincadeira que esqueci de tirar a máquina da bolsa (falha nossa, faltou registros visuais e as crianças reclamaram, já estão acostumadas a serem fotografadas nas atividades).
               

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA

REPRESENTAÇÃO DO MUNDO PELA MATEMÁTICA

- EIXO IV -

 

Professora: Marlusa Benedetti da Rosa

Pólo de Gravataí

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares

Data: 16/04/08

 

ATIVIDADE 4 – NÚMEROS E OPERAÇÕES

 

                    Após ler os textos e refletir sobre as propostas apresentadas, procurando responder sobre as questões levantadas, concluí que trabalho muitas modalidades de problemas envolvendo as quatro operações com meus alunos. Uma das modalidades que chamo de “Desafio” é o labirinto, que é um problema gráfico apresentado pela Disciplina.

                    Essas atividades, além de serem prazerosas, fixam a operação desejada; trabalham outros conteúdos além das operações, como a seqüência; desenvolvem outros campos cognitivos como atenção, percepção, acuidade visual e motricidade.

                    Ontem, mandei como tema de casa, para ser transformada em problema, a seguinte informação:

 

                    Ana está lendo um livro de 63 páginas. O livro, possui sete capítulos. Ana já leu 28 páginas.

Voltaram várias perguntas coincidentes, com escritas diferentes e muitas perguntas iguais, eis algumas delas:

  • Quantas páginas falta para ela terminar o livro? Resposta: 63-28= 35 / 35 páginas.
  • Quantas páginas tem cada capítulo? Resposta: 63¸7=9 / Cada capítulo tem 9 páginas.
  • Quantos capítulos do livro Ana já leu? Resposta: 63¸7=9 / |||||||||+|||||||||+|||||||||+|=27 e 1 / Ela já leu 3 capítulos e está começando o 4º, ela está na 1ª página.
  • Quantas páginas tem 5 capítulos? Resposta: 9x5=45 / 5 capítulos tem 45 páginas.

     

 

 

                   Mas, a atividade que criei para postar não foi essa, foi outra, feita à mão em aula. Um labirinto matemático de seqüência e soma, baseado no material apresentado, foi aplicado hoje e bem aceito pelos alunos.

 

LABIRINTO

PARA SAIR DO LABIRINTO, SIGA SOMANDO OS NÚMEROS EM ORDEM CRESCENTE. 

labirinto.doc 

 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA

REPRESENTAÇÃO DO MUNDO PELA MATEMÁTICA

- EIXO IV -

 

Professora: Marlusa Benedetti da Rosa

Pólo de Gravataí

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares

Data: 21/04/08

 

 

ATIVIDADE 5 – NÚMEROS E OPERAÇÕES

 

                    Vou apresentar algo que ainda não apareceu nas leituras indicadas e que faz muito sucesso. Estava ansiosa por essa oportunidade. Trata-se da SUPERMÁQUINA:

 

MATERIAL

  • Uma caixa de sapatos;
  • Fichinhas com a numeração de 0 a 9 (repetidas umas 5 vezes);
  • Tampinhas, pauzinhos, lápis, canetinhas, etc;
  • Muita imaginação para brincadeira. 

 

 

CONSTRUÇÃO

  • Cortar dois buracos, um em cada lateral da caixa;
  • Forrar com papel pardo ou colorido;
  • Na frente da caixa, em direção a uma das aberturas, escrever ENTRADA, no meio, OPERADOR e em direção a outra abertura, SAÍDA.

 

 

COMO SE USA/ programa da Máquina

 

Também uso análise combinatória e produtos cartesianos (filas por colunas); na primeira, a merenda faz muito sucesso, tipos de bolacha (salgada ou doce) com sucos (laranja ou uva) e Nescau, coisas que eles conhecem. Também uso roupas e pra isso, recorto encartes do super, além de manipular, eles desenham e chegam ao conceito e notação. Para filas e colunas, uma das atividades que uso, é o estacionamento da Escola que tem uma fila por 8 colunas, hipoteticamente aumentamos e começamos a extrapolar. Nesse sentido e no caminho da “caça ao tesouro”, nada como Artes, onde traçamos as linhas e colunas para as coordenadas e reproduzimos um desenho de revista ou outra imagem qualquer nesses espaços.

 

Credo, estou me achando! Tudo que foi apresentado até agora é exatamente o que uso, tenho que me cuidar para não relatar alguma atividade igualzinha às que aparecem nas leituras, senão, vão achar que estou copiando. Mas, tá valendo, assim boto a cuca pra funcionar e crio novidades encima do que estou acostumada.

 

Estou adorando essa Interdisciplina!

 

 

 

Agora, para visualizar o funcionamento da SUPERMÁQUINA e os exemplos que dei, consultem o documento do Word.
 
 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

 

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA

 

REPRESENTAÇÃO DO MUNDO PELA MATEMÁTICA

 

- EIXO IV -

 

Professora: Marlusa Benedetti da Rosa  

Pólo de Gravataí 

Aluna: Mara Rosane Noble Tavares

Data: 24/04/08

 

 

ATIVIDADE 3 – NÚMEROS E OPERAÇÕES, COMENTÁRIO.

 

PÓLO: Três Cachoeiras 

 

GRUPO: Grupo 5

 

SÉRIE: 1º Ano

 

AUTOR: Não ficou claro o nome do autor, cito os integrantes:

 

 

Deise Hahn Monteiro

Edivan Machado de Oliveira

Eliane Klein Vieira                                                              

Gislaine Cardoso Aguiar

Sandra de Oliveira Evaldt

Simone Luci Raupp Jorge

 

 

ENDEREÇO: http://peadtcmatg5.pbwiki.com/

 

DATA DA CONSULTA: 24/04/08

 

COMENTÁRIO:

 

 

A autora faz a introdução da atividade, situando-a dentro do contexto teórico de aprendizagem Piagetiana. Chamou-me atenção a escolha pela análise combinatória, cuja pertinencia às brincadeiras infantis é rotineira. Assim, utilizando-se de uma tendência adotada pela criança em fazer combinações com legos, figurinhas, brinquedos, etc. a professora (autora) transpõe a brincadeira para uma atividade dirigida e intencional, instrumentalizando-a e graduando-a através de questionamentos e da problematização para a construção do conceito de combinações.

 

  

 

Comments (4)

Anonymous said

at 12:05 pm on Apr 18, 2008

ATIVIDADE NO1. Mara! É verdade! Se fizéssemos um diário listando todos os números que vemos e usamos durnte o dia ficarímos surpresos com a quantidade de informções que são transmitidas atráves deles! Parabéns por perceber as difeentes funções que eles têm! Beijo na ponta do nariz e bom fim de semana.

Anonymous said

at 12:15 pm on Apr 18, 2008

ATIVIDADE NO2. Puxa, Mara! A brincadeira foi tão divertida que esqueceu de fotografar? Deve ter sido realmente empolgante! Parabéns por registrares as dúvidas dos alunos e por perceber como eles (alguns) ainda separam a matemática da vida! Continue assim: disposta, empolgada e indo além do "satisfatório"! Mais beijo de esquimó!

Anonymous said

at 11:37 pm on Apr 27, 2008

ATIVIDADES NO4 e NO5
Parabéns Mara! As atividades mostram que você conseguiu entender a proposta dos textos relativos a campo conceituais. As atividades propostas indicam reflexão sobre a prática, além disso, buscam criar situações diferenciadas para os alunos. O labirinto e as máquinas são sem dúvidas atividade muito interessantes que motivam uma série de discussões. Você sempre procura inserir figuras relativas ao trabalho implementado, no entanto percebo que algumas não estão ficando visíveis. Sugiro que entre em contato com a tutora Elisa para superar essa dificuldade. Também estou gostando muito de ter como aluna, principalmente quando sinto no teu texto o prazer que tens de “ensinar” Matemática.

Anonymous said

at 10:45 pm on May 7, 2008

ATIVIDADE NO6. Oi, Mara! O parecer sobre a postagem do grupo de Três Cachoeiras nostra que sabe relacionar o que foi lido e trabalhado com a prática (sua e dos colegas). Também justifica sua opinião com base no que foi trabalhado até aqui. Parabéns. Beijo na ponta do nariz...

You don't have permission to comment on this page.